29 de junho, de 2022 | 13:21

195 alunos da E.E. João Walmick formam no Progea

Programa de Educação Ambiental, nos moldes do Proerd, foi concluído na noite de terça-feira, em Ipatinga

Wellington Fred
Os alunos da Escola João Walmick, após a formatura, brincam com a mascote PM Legal Os alunos da Escola João Walmick, após a formatura, brincam com a mascote PM Legal
Uma solenidade concorrida contou a presença de pais e dos alunos das turmas de 4ª e 5ª séries do Ensino Fundamental da Escola Estadual João Walmick, localizada no Vila Ipanema, em Ipatinga. O evento foi realizado na noite de terça-feira (28) no auditório da escola com a formatura dos estudantes que participaram do Programa de Educação Ambiental (Progea) ministrado pela Polícia Militar de Meio Ambiente.

O programa, que tem a inspiração no Proerd, Programa Educacional de Resistência às Drogas, foi criado pela Polícia Militar de Minas Gerais em 2014. Neste período, já passaram cerca de 100 mil alunos do estado que participaram do Progea, conforme informações do major Átila Porto, comandante da 12ª Companhia de Meio Ambiente, sediada em Ipatinga.

O oficial ressaltou que o Progea não fica somente na questão ambiental durante o período em que o programa é implementado na escola. “Neste momento, trabalhamos outras questões socioeducativas, tentando transformar e melhorar estas crianças. É a contribuição da Polícia Militar”, ressaltou o comandante ao Diário do Aço.


O monitor do Progea, cabo Assis, completou que a presença de um policial militar na sala de aula aguça a curiosidade dos alunos. “É o momento de aproveitar esta curiosidade, é fazer esta troca de conhecimentos. A gente não só ensina, colhe também muito deles”, explicou o militar.

Formatura

Na escola João Walmick foram 195 estudantes do Ensino Fundamental, das séries 4ª e 5ª, que participaram da formatura, com a presença dos familiares e de autoridades da região. “Foi uma experiência marcante. A execução do Progea na Escola Joao Walmick foi um marco na região. O reflexo da formatura é esta alegria, todo o envolvimento da escola que veio só coroar o programa desenvolvido aqui”.

A pedagoga do João Walmick, Ana Paula, revelou ao Diário do Aço que já pode notar algumas mudanças de comportamento nas crianças que participaram do Progrea, não deixando a torneira do bebedouro aberta ou lixo pelo pátio. “Em um curto período, o quanto evoluíram na consciência ambiental. Eles criaram uma consciência mais crítica voltada para este lado ambiental“.





Encontrou um erro, ou quer sugerir uma notícia? Fale com o editor: [email protected]

Comentários

Aviso - Os comentários não representam a opinião do Portal Diário do Aço e são de responsabilidade de seus autores. Não serão aprovados comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes. O Diário do Aço modera todas as mensagens e resguarda o direito de reprovar textos ofensivos que não respeitem os critérios estabelecidos.

Jubileu

01 de julho, 2022 | 01:34

“Que bom está interação de Polícia com a Escola publica, neste mundo onde polícia e visto como repressão e morte, tem oportunidade de mostrar o lado da conscientização e serviço, o jovem precisa de referências.”

Envie seu Comentário